Páginas

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Releitura crítica das Palestras de Eva Pierrakos - Andre Barreto


Para um artigo sobre este material, acesse

Releitura crítica das Palestras de Eva Pierrakos.
Conteúdos das palestras organizados por tema.
Organizador: André Barreto C. Pereira.

O texto abaixo em forma de glossário fez parte de uma revisão crítica das palestras de Eva Pierrakos que fiz entre setembro de 2003 e junho de 2004. A razão do trabalho foi o questionamento de alguns aspectos da metodologia de Eva Pierrakos e a busca por uma nova síntese na minha abordagem de trabalho terapêutico. Nesse período reli cerca de 180 palestras, entre as 258 disponíveis. Cerca de 2.000 páginas no total. A releitura crítica foi feita com a contrapartida teórica e filosófica da obra de Ken Wilber. As observações funcionam como uma análise comparativa dessas duas fontes principais, e algumas outras abordagens pelo caminho. Questões, posicionamentos, afirmações e metodologias são questionadas à luz de uma visão não-dogmática. O objetivo é esclarecer afinal: O que e como pensa essa fonte de conhecimento que se comunicou a centenas de pessoas através das palavras de Eva Pierrakos. Essa é a primeira parte de um trabalho extenso. As palestras às quais os comentários se referem estão indicadas pelo seu número (de 001 a 258). Elas estão acessíveis no link "258 Lectures", em www.bcpandre.blogspot.com, em versões em espanhol e em inglês. Caso você não conheça a obra de Eva Pierrakos, desaconselho a seguir em frente. Convém antes ler alguns livros publicados, em que a filosofia é explicada: Minha sugestão é "Eu sem defesas", de Susan Thesenga, que é uma boa introdução; Ou "Não temas o mal", de Donovan Thesenga e Eva Pierrakos. Há outros livros disponíveis que também podem servir como uma boa introdução. Não fiz revisão do texto, então é provável a ocorrência de erros de português (falta de acentos, etc.). Qualquer comentário, pergunta ou questionamento sobre as observações aqui feitas podem ser postadas no meu blog: www.bcpandre.blogspot.com
Boa leitura.
Andre B.





Parte um: Aspectos iniciais.


História da Eva Pierrakos e Canalização.

- Questões ligadas à mediunidade, limitações do médium. 003, pág. 7 e 8.

- Palestras 19, 20 e 21. Há uma razão para cada tema escolhido.

- 204 pág.1: "Não se preocupe com o processo de canalização. Existem níveis inacessíveis de realidade para o seu estado atual".

- Newsletter. História e entrevista com Eva Pierrakos.

Contexto histórico.

No final da década de 50 nos EUA, a psicologia se debatia entre o behaviorismo de Skinner e a Psicanálise, sem nenhuma ponte viável para a espiritualidade. Houve um grande número de abordagens, nesta época, como um chamado sutil direcionado às antenas sensíveis o suficiente para captá-lo, que clamaram pela união e complementaridade entre a psicologia e a espiritualidade, através do movimento do potencial humano e da psicologia humanista e transpessoal. A psicologia, por seu lado, necessitava uma dimensão de significado, transcendência e perspectiva. A espiritualidade precisava incluir a autonomia, o pensamento crítico e científico, as feridas e traumas infantis, a sexualidade. A mensagem foi interpretada de várias formas e nuances, e sua essência está no Pathwork.
Porque não aconteceu antes?
A auto-responsabilidade e liberdade de escolha exigida só foram possíveis num ambiente com a mente formal-operacional estável (pós-iluminismo/ EUA dos anos 50: estabilidade político-econômica. Ver. palestra221, pág.1, parágrafos 3 e 4. " ...but now your human condition has advanced sufficiently to see again that distortion of truth…create suffering. And perhaps now without the authoritarian punitive ness, this fact can simply be seen for what it is".). E num mundo pós-Freud, onde os conceitos de inconsciente, ego, neurose, etc. já estariam bem assimilados (Ver: Alice Bailey. "O pré-requisito para a canalização é uma mente bem trabalhada e informada").
É significativo observar que o Pathwork surgiu num ambiente cultural pós-moderno, totalmente avesso a qualquer tipo de abordagem em estágios, ou de natureza evolutiva ou hierárquica. Hoje, já início do século XXI, este ambiente já alcançou os limites de suas próprias contradições internas, seu narcisismo e niilismo inerentes, mas não naquele período, cuja abordagem soava bastante fora de propósito.

181, pág.5,6: "O mundo recebeu um novo sopro. Drogas psicodélicas revelaram a essência por trás das aparências (" Eu desaconselho o uso de drogas"). O mundo está adquirindo uma nova consciência. Ela está começando a se espalhar. É o resultado de seres cujo desenvolvimento e ligação são mais profundos que a pessoa comum. São poucos, mas seu poder é maior do que se consegue imaginar.".

204,pág.10: Pathwork apareceu na época adequada, quando as pessoas já são capazes de assumir auto-responsabilidade./ Sobre sociedades secretas e o caminho na idade média, quando era necessário uma autoridade externa que reprimisse o impulso cruel (meme azul).

225,pág.7: "Neste ponto, conquistamos autonomia individual. Podemos, portanto, formar grupos ( que integram os indivíduos, não as massas)./ Ver: pág.1.

Pathwork: Uma síntese de abordagens psicológica e espiritual.

Pathwork como caminho espiritual:

O que é um caminho espiritual?

"Ter alcançado o nirvana não me ajudou em nada nos meus relacionamentos"... "Continuei a mesma pessoa imatura, insegura e defensiva". Jack Kornfield, citado por Tony Schwartz.
Segundo o Guia, este é um caminho mais seguro e melhor: Quando o contato com o mundo espiritual per se não é a meta final, mas um meio de reconhecer a vontade de Deus em tudo.

"O verdadeiro sentido do misticismo é atingir e experimentar Deus na maior medida possível a um ser encarnado... mas o verdadeiro místico, em última análise, nem mesmo deseja ter essa experiência, a mais elevada de todas, como meta final, porque isso seria um objetivo egoísta... portanto, a meta do verdadeiro místico, a nossos olhos, é servir!" (018, pág.8)...

"Muitas disciplinas espirituais não dão a devida atenção àquelas áreas do ego que estão mergulhadas na negatividade e na destrutividade. Qualquer sucesso (espiritual) tem vida curta e é ilusório, embora algumas experiências possam ser genuínas... visto que os seres humanos relutam em aceitar e em lidar com certas partes de si mesmos, eles frequentemente buscam refúgio em caminhos que prometem ser possível evitar essas áreas interiores problemáticas."


Crenças ilusórias: "Qualquer coisa que exista em mim pode ser evitada" e " O que existe em mim precisa ser temido e negado"... A verdade é que por mais destruidor que seja qualquer aspecto em você pode ser transformado. A consciência de uma falha de personalidade conduz à sua cura, e não o inverso... Se, para você, um caminho espiritual é a prática da meditação pela própria meditação, ou pela esperança de alcançar experiência e consciência cósmicas de felicidade, então não é este o caminho que você deve seguir.

"O contato com o mundo divino não é o único caminho para todos os seres humanos. Para alguns, outros meios podem ser mais adequados (citando o exemplo da análise profunda, ou medicina da alma) a depender de sua personalidade". 43,pág.9,,,104,pág.5.


"Algumas religiões, ao perceber o perigo (da vontade e do intelecto), tentam elimina-las. Não dissolva sua mente por completo. Sem ela, você se tornará um imbecil". .

- Sobre as bênçãos. 107,pág.1., 109, pág.7,8./ 144,pág.1: Significado das bênçãos./164, pág.1: Benção=poder doado.

- Conceito de Alma no Pathwork. 111, pág.6,7.

- Sobre caminhos que nos incitam a "parar de lutar". 114, pág.1,2.

-< > >152, pág.3: Abordagens que removem Deus do eu e da vida diária." Retirar a realização total do agora e levá-lo para depois da morte. São o resultado do ajuste entre o que a pessoa sente como seu potencial e seu temor."

- 161, pág.6: Amor: chave para o universo. Auto-engano e hipocrisia das religiões.

- 164, pág.1,2: Neurose: Visão espiritual. Sinal de saúde e doença ao mesmo tempo.

- 187, pág.1: "O seu trabalho criou uma grande luz, um grande centro de luz no esquema universal" ("que tornou possível a transmissão da força curativa, e a união de pequenos grupos em uma comunidade"). Sobre o crescimento do campo morfogenético do Pathwork nos EUA naquele período.

- 189, pág.8: "Nenhum exercício, esforço ou esperança visando uma graça que venha de fora pode trazer-lhe consciência genuína ou o Eu espiritual."

- 193, pág.4: 2 modos de aproximação à espiritualidade. Direto ascendente e a unificação das distorções.

- 203, pág.1: "Este caminho não é novo. É o mesmo caminho fundamental".

- 207, pág.9: Unindo sexualidade e espiritualidade.

Pathwork como abordagem Psicoterapêutica.

- O trabalho emocional é o pré-requisito para a fase mais importante que vem a seguir, que começa onde a psicoterapia termina.

- Assim como em modernas técnicas de psicoterapia, a disposição de abandonar as antigas defesas e sentir a dor emocional residual é fundamental para o progresso no caminho.

- Auto-responsabilidade: Não é encorajada a dependência emocional do paciente em relação ao facilitador. Trabalho com projeção e transferência/contratransferência.

- Distanciamento: O facilitador é mais como um guia que caminhou mais que seus alunos e não uma figura orgulhosa que possui o conhecimento, (e, portanto o poder), e que paira acima de seus alunos/clientes. Além disso, o facilitador não tem como premissa preservar as informações de seu próprio processo pessoal de crescimento. Ele as partilha a fim de inspirar e exemplificar, quando isto é adequado.Ele pode expressar suas emoções ou fazer confrontações com os alunos. Isto muitas vezes é lido como fraqueza e/ou despreparo pelos alunos ( imagem de massa), e pode gerar insegurança e raiva.

- Análise profunda (ou medicina da alma). Outro modo de se alcançar o objetivo (remover os obstáculos que obstruem a centelha divina). 043, pág.9.

- Sobre o psicótico clínico. 083, pág.10.

- Sobre emoções canalizadas ou manipuladas. 104, pág.11.

- Abordagem da "Psicologia moderna sobre o eu inferior". 109, pág.3,4.

- Abordagem da psicologia sobre a identificação com o eu. 113, pág.3.

- 118: "Quando isso é verdadeiramente compreendido, não pode haver uma marca divisória entre Psicologia moderna e as idéias espirituais". Pág.3,3o par. / A compreensão parcial dos psicoterapeutas e psicanalistas. Pág.7,2o par. / Sobre transferência. Pág.5, 6,7. /Sobre irmãos e irmãs. Pág.8.

- Sobre uma abordagem maior que a freudiana. 119, pág.9.

- 124: Abordagem para o inconsciente.

- 116 pág.3,4: Diferenças no objetivo final da psicologia e do pathwork.
- 132 pág.1: Dualidade entre visão oriental (ego é indesejável) e psicanalítico-ocidental (ego =saúde mental).

- 155, pág.4 a 6: Crítica do guia às abordagens psicológica e religiosa: Sobre a ênfase exagerada em não ter recebido( Psicologia) e à abordagem religiosa de "dar amor" ( auto-sacrifício e auto-empobrecimento).

- 162 pág.6,2o par. O mais alto objetivo da psicoterapia terrena: Alcançar o nível de realidade.

- 203, pág.1 a 3: Mediação e relação entre o Pathwork e:
1) Psicoterapia.
2) Práticas espirituais.

- 246 pág.8: Integração entre psicologia e espiritualidade.

- 248 pág.1: "A modernidade foi necessária para se crescer em direção à auto-responsabilidade".

Pathwork, Religião e Ciência.

- Dissolvendo a aparente dualidade entre Fé e Ciência (221, pág. 3): "Conceito do senso comum de fé é uma crença cega em algo que você não tem como saber e nunca terá. Significa que você cegamente, e de forma não inteligente, ou ingenuamente acredita sem justificativa ou razão, normalmente sem pensamento sério, com preguiça e ignorância. Por causa disso, a fé frente à mente intelectualizada dos dias de hoje tem uma reputação ruim....de acordo com este conceito, é uma boa idéia descartar todo tipo de fé. Por causa disso ( a mente atual) permanece numa plataforma intelectual em que tudo o que é supostamente real precisa ser visto, tocado, conhecido e provado. E o passo necessário para o desconhecido nunca é dado.


- Qual seria o conceito apropriado de fé? Ela existe em vários estágios. O primeiro estágio é contemplar um novo jeito de funcionar, em oposição a continuar numa corrente negativa particular que é conhecida e habitual...é considerar tal jeito novo como uma possibilidade...makes room for alternatives not yet experienced" ( Fé no primeiro estágio = abertura para o novo).... I have mentioned in many other contexts ( portanto, isto é importante!) that this is the indispensable attitude that every serious scientist pursues…the real step in faith, that make faith a dynamic road in itself, are completely compatible with the scientific turn of mind. To consider alternatives that are as yet unknown is an honest attitude, it is objective , it is humble".


- Atitudes corretas em relação às religiões oficiais. 008, pág. 8.


- Relação entre o endurecimento das artérias do cérebro e o espírito. 124, pág.10,11.


- Como a religião cria dualidade entre Procurar Deus e ter uma vida feliz. 116, pág.2,3.


- 140, pág.4: Sobre Homeostase (em química, física).


- 181, pág.1: Comparação entre injunção científica e expansão da consciência.


- 197, pág.5: "Mau uso da palavra "mal" pela religião."


- 222, pág.2 "Teoria virando realidade, sendo "posta à prova". / Pág.6: Religiões quando surgem são canais que comunicam verdade divina á humanidade. Mais tarde, algumas vezes, são distorcidas." Sobre mentes preguiçosas que aceitam regras e generalizações. Pág.6.


- 243, pág.7: Essa terminologia (salvação) talvez seja ofensiva a vocês porque vocês a associam, desnecessariamente com uma religião que já superaram. Mas isso não altera o fato de que sua alma clama por salvação, na abordagem desta palestra.


- 246, inteira: Significado de tradição. 1) No melhor sentido. 2) Sentido distorcido. Pág.1 No melhor: A tradição é a continuação da fé nas verdades e valores eternos. Um contínuo re-experimentar dessa irrupção original. Pág.2/ Distorcido: Peso morto, carregar algo sem sentido. A manutenção de um costume ou experiência que foi válido num certo momento da história, sob certas circunstancia e condições específicas. / Sem a contínua mudança, verdades vivas e imutáveis não podem ser vividas. A verdadeira tradição precisa ser sempre acompanhada de mudança. Pág.2.


- Duas abordagens: Ortodoxia; Resistência a mudança. As próprias verdades da tradição vieram como resultado de se vencer o medo de mudar. Pág.3.


- Abordagem moderna: Rejeitar tudo ligado à tradição. Pág.3.


- Abordagem do Guia: Nem venerar nem rejeitar. Examinar com inteligência e honestidade, torná-la nova e significante. Pág.3: "O crescimento não é possível de outra forma. Ele só pode existir quando esse movimento fica tão intacto e desobstruído quanto possível. Ele deve combinar o velho e o novo. Deve reter a tradição e renová-la. Verdade e princípio eterno, aplicável a qualquer aspecto da vida. Pois o caminho é um movimento, uma jornada" .Pág.5./ Dualidade velho x novo.pág.3/ Todo objeto e conceito da terra tem origem no espírito.pág.3. / A tradição se refere a valorizar a verdade eterna em suas múltiplas manifestações, ou talvez numa certa manifestação específica. ( Parábola do elefante, descrito por vários cegos).pág.4/ Tradições se cristalizam por medo de se antagonizar aqueles que obstruíam o novo movimento e expansão.É por isso que muitas organizações, orientações e escolas de pensamento aparentemente novos aparecem constantemente. O velho ou está sendo calcificado pelo conceito distorcido da tradição ou totalmente rompido pela distorção de buscar a mudança. Pág.5,6..."Até aqui fomos bem sucedidos na tarefa de manter esse caminho em andamento no que se refere a combinar tradição e mudança, mantendo assim o espírito puro.pág.6/ Estar na verdade é ver além da dualidade.pág.8.


Pathwork: Aspectos filosóficos.


- Depois de explorar a relação entre a espiritualidade mística e o Pathwork e entre a psicoterapia e o Pathwork, surge a visão filosófica deste caminho, que considera o trabalho emocional como o prelúdio da sua parte mais importante, que é espiritual. Na mesma linha das abordagens que procuram integrar os trabalhos de meditação com o da personalidade, como abordagem do Eneagrama de Cláudio Naranjo, Jack Kornfield, Wilber, Washburn, Neo-Junguianos, Diamond Approach, etc. 071, pág. 12. "A importância da meditação somada à análise das suas emoções". Ver: 107, pág.1: 2 caminhos para se buscar o poço interior de sabedoria e Amor: auto-confrontação e meditação ( "busca da calma")./ 113,pág.6:" Enquanto o cordão umbilical emocional não é cortado, o eu não pode crescer. Só até um ponto ( como no útero)."/ Jung: "A melhor maneira de alcançar a luz é revelando a sombra"/ Theda Basso, "Hoje em dia é consenso no meio espiritualizado nos EUA que uma abordagem espiritual precisa incluir o trabalho com a criança interior". Ver 99, pág.1: Sobre Psicologia e Espiritualidade. / 118: "Quando isso é verdadeiramente compreendido, não pode haver uma marca divisória entre Psicologia moderna e as idéias espirituais". Pág.3,3o par. / A compreensão parcial dos psicoterapeutas e psicanalistas. Pág.7,2o par. / 132,pág.1: Dualidade entre visão oriental(ego é indesejável) e psicanalítica/ocidental( ego =saúde mental). / 161: Para se alcançar a verdade, transcender o ego, é preciso revelar e liberar a destrutividade oculta. Na negatividade, o ego não pode soltar-se na corrente universal. Ele não teria aonde se apoiar e se desintegraria. Portanto, segundo o guia, o trabalho de transformação dos sentimentos é pré-requisito para se alcançar a união espiritual, e não deve ser negligenciado. / 168,pág.1: Amor e verdade. Tanto faz por onde começar. Uma leva à outra. /189,pág.8:"Nenhum exercício, esforço ou esperança visando uma graça que venha de fora pode trazer-lhe consciência genuína ou o Eu espiritual."/ 193,pág.4: 2 modos de aproximação à espiritualidade. Direto ascendente e a unificação das distorções./ 204,pág.8: "Nenhuma prática pode satisfazer esse anseio (desviar do auto exame e não abrir mão da auto –imagem) por mais que vocês se dediquem à meditação e à concentração." (Ver início da palestra, quando o guia estabelece parâmetros entre o Pathwork, Psicoterapia e práticas espirituais).



- Objetivo do Pathwork: 193, pág.2, último. Unificação/ União. /154, pág.1: Descrição do Eu verdadeiro como a meta/objetivo do Pathwork. / 197, pág.3: "A tarefa de todo ser humano, ao longo de muitas encarnações, é purificar a alma e superar o mal" (Já estamos neste caminho, queiramos ou não). // 246,pág.6: "O objetivo deste caminho é efetuar o desenvolvimento pessoal até o máximo potencial do individuo, em todos os níveis."



- Segurança e ênfase no negativo: 208 pág.5: "Este é um caminho que não deixa nada pendente. O foco, durante muito tempo, precisa recair sobre as áreas sombrias. Deve ser assim para a própria proteção de vocês." / 212, pág.12: "Porque é necessária tanta ênfase no negativo?"./ "A forma específica deste trabalho significa uma maravilhosa proteção contra (... uma dolorosa desilusão)”. Pág.2.



- Sobre ser um caminho que integra o caminho ascendente e o descendente, como os plantonistas e neo-platonistas (Plotino): 210, pág.4: "O conteúdo interior se expressa no exterior. Crítica aos caminhos que são parciais, que valorizam um ou outro aspecto". 233, pág.1,2: "Os seres humanos não se elevam. É mais correto dizer que as regiões superiores descem e penetram os níveis inferiores. As consciências superiores cada vez mais penetram a terra, espiritualizando as energias menos maduras."



- 131, pág.1: 2 abordagens interdependentes: encontrar, expressar, reexaminar à luz da verdade e esvaziar-se ( colocar para fora-expressão) e impressionar, moldar, direcionar os poderes que estão dentro de você para criar circunstancias mais favoráveis (colocar para dentro-impressão) .Pág.1.



- A visão filosófica colocada nas palestras do Pathwork está alinhada com o "Spirit in action", conceito idealista de Hegel. O espírito está se desdobrando evolutivamente em busca de si mesmo. /095, pág.1: Sobre o despertar para a consciência, depois de ter passado pelas formas vegetal e animal. (Evolução: Ver: 104, pág.2). / "O universo luta no sentido da união em cada aspecto possível" 122, pág.3. /164, pág.1: Descrição do aspecto subjetivo no homem primitivo.



- Sobre a existência da verdade absoluta. A posição do Guia se alinha com a posição do integralismo universal (ver: Teoria de tudo, Wilber, Cultrix pág.128,129), em contraste com o relativismo pluralista, característico de um pós-modernismo anti-modernista. (A realidade absoluta é o que está além da percepção dualista. Ou seja, tentar detectar por trás do movimento superficial incessante da vida as coisas que são imutáveis. As leis espirituais, por exemplo). / 162, pág.6: A realidade última é flexível e mutável. O homem não é colocado num universo que tem uma existência pré-determinada, cujas condições são fixas. (crítica à visão moderna universalista. Posição, portanto, pós-moderna).



- Acolhimento do Mal sem dualidade. "Just say yes"/ Não temas o mal/ Tantrismo/Hinduismo. Segundo a cosmologia do Pathwork, desde a vinda de Jesus Cristo, o reino espiritual e a própria vida passou a ter uma tendência intrinsecamente benigna. A balança pendeu, segundo o guia, para o outro lado. Não vivemos mais, como ocorre no universo da saga "Senhor dos anéis", num universo dominado pelas forças do mal. Isto mudou, segundo o Guia, com a vinda de Jesus.
(109, pág.1: 2 Fases do caminho até agora. A auto investigação e auto purificação e Perceber o Eu sem a conotação do certo e do errado). / 216, pág.1: "Vocês todos flutuam em uma nuvem segura de consciência divina e são nutridos com amor divino, quer saibam disso ou não, quer sintam isso ou não".



- Sobre a personificação de entidades: "Se não existisse a personificação dos princípios e das forças criativas, como vocês poderiam existir enquanto seres humanos"? Um ser humano é meramente uma forma de personificação. Estamos aqui para lidar com o fato de que a personificação existe em todas as gradações e negar isso estaria muito distante de um posicionamento bem informado e inteligente. Pág.5/ Jesus é a manifestação divina como personificação.



- Sentido da vida e objetivo do caminho: Ponto de vista de um espírito evoluído e desencarnado. A vida na terra não existe para que se busque o reino espiritual. Ela existe para ser vivida aqui. O objetivo da vida é abrir caminho até o eu interior, transformar a nossa negatividade e realizar a tarefa que será pedida quando a purificação se completar. Nós encarnamos porque aqui estamos sujeitos a leis que permitem uma rápida transformação (causa e efeito levando rapidamente, em comparação ao reino espiritual, à percepção da destrutividade das escolhas negativas). Se não encarnássemos, a volta ao estado de união não seria possível. Dessa forma, todos estão no caminho espiritual, quer saibamos ou não. A diferença é que alguns agem com consciência e aceleram o processo e outros não, vão vivendo sem consciência, mas avançando. Toda a manifestação da vida, do “Big bang” até hoje, faz parte do que o Guia chama de” Plano de Salvação" ( linguagem e mitologia cristã), e está de acordo com uma filosofia de visão evolucionista, como a de Hegel/Wilber ( a vida, o homem estão constantemente evoluindo para estágios de maior complexidade, sendo o homem o próprio veículo do espírito em ação)./ 099,pág.8:" As distorções existem por causa de seu nível baixo de consciência da realidade. As distorções em si mesmas são o remédio, porque sem elas vocês não poderiam perceber a verdade."/ 108,pág.1: " Este mundo está cheio de seres humanos cujas forças da alma estão de alguma forma perturbadas"./ 118,pág.1:" Esta esfera em particular oferece as condições que são compatíveis com seu envolvimento negativo"./ 161,pág.1: A entidade espiritual que está encarnada como homem é o homem em seu estado de consciência total, condensada na matéria grosseira. Ele está encarnado na matéria porque uma parte separada de sua consciência total (o ego) está separada de seu ser total. /181, pág.5: "A luta da vida (o sentido da vida) é a luta entre o bem e o mal." Segue uma descrição. / 189, pág.6: "A tarefa dos seres humanos é carregar consigo os aspectos negativos com o propósito de integrá-los e sintetizá-los. Que dignidade empresta a você considerar que assume esta importante tarefa pela causa da evolução." / 216, pág.3: "A reunificação com a essência pode ocorrer onde a entidade já esteja purificada. Mas não é aí, obviamente, que está a tarefa.".// 220, pág. 3,4: A parte de sua alma que ainda está separada precisa esquecer tudo o que sabia no estado mais desperto para que a parte não desenvolvida encontre seu próprio caminho... Se as circunstancias fossem tão sublimes, tão favoráveis, o pior dentro de vocês não se manifestaria. Vocês não saberiam da existência delas. Elas precisam de algo que as desencadeie, precisam de exposição, de provocação. Pág.4.



- Linhagem cristã/ Nível sutil: O universo é benigno graças à Cristo. O sentido da vida está em resgatar os anjos caídos (nós) da dor da separação. Todos nós somos estes anjos caídos e caímos por inveja do espírito de Cristo, segundo o Guia, o anjo mais perfeito e mais próximo do Criador. Portanto, todos nós devemos, pelo menos, nos sentir gratos a Ele.



- Visão Budista: A manifestação começou porque Deus se cansou de jantar sozinho, para sua diversão (Segundo a visão em estágios de Wilber, a cosmologia do Pathwork se adapta melhor ao nível sutil, como uma guerra entre anjos, entre as forças do bem e do mal; enquanto a cosmologia budista se direciona ao nível causal, antes da criação dos anjos e outros seres espirituais, que depois viriam a "cair"). 233, pág.2: "... A consciência de Cristo, que são mais evoluídas e purificadas". / 258: "A grande batalha entre as forças do bem e do mal, travada na penetração gradual da vida em direção ao vazio. Quando você perceber esta questão vasta e universal, como chave para todas as outras questões, você começará a colocar as coisas mais importantes em 1º lugar e a ver seu mundo particular na perspectiva apropriada". Pág.6.



- Do ponto de vista espiritual, a relação de valor se relativiza: 194 pág.13: "Não existe uma questão pequena ou grande. Tudo é importante."



- O universo é intrinsecamente benigno: 233 pág.1: "Vocês participam agora de um impulso muito positivo, que é o aspecto mais forte. O eu superior predomina cada vez mais."



- Sobrevivência do ego/personalidade após a morte. 132 pág.7: "O corpo humano e suas condições de vida são resultado direto da personalidade, que, é claro, existe antes do nascimento". Ver: Salvação: 258.



- Ênfase no cultivo, pelo aspecto feminino/descendente, do Amor (Cristianismo), em relação à busca da Verdade (Ver Deus por si mesmo/ascendente - ênfase do Budismo). Mesmo em relação ao amor e outras virtudes, o Pathwork dá ênfase ao aspecto feminino do cultivo do amor, ou seja, trabalhando diretamente com a negatividade que obscurece a manifestação do amor, o próprio Amor, indiretamente e como um subproduto, é gradualmente revelado (Em oposição às abordagens mais "masculinas", que dão ênfase ao cultivo direto do amor, como Roger Walsh/ "Questão de prática" e Assaglioli/ "Agir como se"). “Integrador- 075, pág.7-” Entender é resolver" e "cultivar pensamentos também ajuda". Ver: . 104. Pág.2 a 5. Crescimento indireto do Eu Verdadeiro:Ao usar a mente e a vontade para o Pathwork, indiretamente o Eu Verdadeiro é liberado. Não é possível liberar diretamente, com esforço ativo. "Espiritualidade é, acima de todas as coisas, Amor". Pág.3,4. / 108, pág. Amor é a chave da vida. "Sem o Amor nada conta". / "O que é o certo, sem o Amor? Nada."pág. 2 (Sobre caráter parcial de uma vida ética)/ Entretanto, o Guia em poucos momentos afirma o valor da ação consciente . 175,pág.2: Para perceber e vivenciar o mundo espiritual, o homem precisa: 1) Sintonizar-se com ele (entrar no vazio). 2) Vivenciar e entender completamente a parte que se tornou negativa. 3) Usar a capacidade de pensamento como instrumento.pág.3.



- Ênfase na celebração da vida: Ver: 119 relações entre movimento, consciência e experiência/ 108: Dizer Sim à vida, em oposição à viver por obrigação.pág.4. 154,pág.3,4,5: Sobre fugir e entrar na experiência. / "Assim, como se pode negar a vida no aqui e agora que o criador lhes deu"? 253, pág.5.



- A relação com o sexo oposto é um dos aspectos mais importantes da auto-satisfação. 122, pág.2.



- "A matéria é o resultado da falta de consciência, da não verdade". 95, pág.1. (Visão predominantemente evolutiva/nível sutil, e não evolutiva-involutiva/nível causal).


- Epistemologia da linguagem: "O que procuro fazer é guiar vocês para o âmago de seu ser, a partir de vários ângulos, usando várias abordagens" 095 pág.2. / "Eu freqüentemente mudo os termos. Quando se usa a mesma palavra sempre, o significado por trás se perde. É aconselhável usar outra expressão que o desafie a re-experimentar o significado por detrás da palavra." 104 pág.1. / “111, pág.10:” Procurem não rotular". / 116, pág.4. "Mudo o termo para não perder o impacto mais profundo de seu significado. Para obter uma compreensão independente, um pensamento criativo". A abordagem do pathwork as vezes sofre com a dualidade gerada pelo uso de termos dualísticos ( culpa "certa" e culpa 'errada") e às vezes é muito precisa em sua terminologia para evitar confusões dualistas geradas pela linguagem ( Sobre imaturidade:"trata-se menos de algo pecaminoso do que uma indicação na defasagem no desenvolvimento geral da pessoa"119,pág.6). / Caráter momentâneo e específico dos ensinamentos, sem a pretensão de ser um sistema filosófico.
177 pág.1: "Saudações aos meus amigos que estão aqui para obter nutrição e verdade, da maneira que necessitem no momento".



- Pragmatismo: "Não é necessário acreditar no que eu digo; Basta botar em prática" /" O conhecimento deve ser vivenciado pessoalmente". / 124, pág.2: "Não aceitem ensinamentos espirituais que não possam verificar dentro de si mesmo neste instante". /116, pág.2: "O conhecimento (de qualquer tipo) deve ser usado como uma luz norteadora para orientar a busca interior". / 155, pág.8,9. "Estas palavras não são uma filosofia sem praticidade, talvez bela, mas inviável na vida cotidiana". / 162, pág.2. É preferível não discutir (isso) de maneira filosófica, geral ou teórica. Quanto mais específicos e pessoais vocês puderem ser, quanto mais puderem aplicar ao cotidiano, tanto melhor. / 197, pág.1: "Qualquer filosofia que não é colocada em prática é uma abstração superficial da mente". / 204, pág.7: "Este caminho é muitíssimo pragmático..." / / 253: Dualidade espiritualidade x vida prática. "Os assuntos práticos do dia a dia são sempre uma expressão de atitudes interiores, sutis e finalmente, espirituais. É por isso que vocês consideram nosso caminho tão imensamente prático e totalmente compatível com a vida material, atividades diárias e objetivos de vocês". Pág.4.



- Mediação dialética transdisciplinar com muitas abordagens: Budismo (Conceitos de reencarnação ( 118,pág1) , karma, vazio focalizado, ver posicionamento do guia sobre ausência de desejos:013,pág.7, visão cosmológica da 175, pág.6,7), Cristianismo ( Cristo, mitologia cristã, bem e mal ), Psicanálise ou psicologia profunda ocidental ( trabalho com imagens/neuroses e máscara/persona, Fortalecimento do ego), análise transacional ou psicologia humanista ( Relacionamentos, criança interna, mapas horizontal e vertical cruzados da Susan) e abordagens corporais ( Reich, Bioenergética, Core-energétics), Desenvolvimento moral/Kohlberg (Bem e mal), Terapia cognitiva/Beck ( Imagens), Antroposofia/Steiner ( 154, ciclos em nossa vida)., Taoísmo (esforço sem esforço, 228,pág.6, 253, final), etc.



- Causa para o sofrimento: " Distortion of truth, denial of love, negative intentionality are what ultimately create suffering"- 221. (resistência=matéria=cegueira=dualismo=mal=sofrimento).



- Abordagem Metafísica: Aspectos. 104, pág.2: O estado de ser (unidade) não se manifesta repentinamente, depois da morte física. (Difere da abordagem do Livro Tibetano dos mortos). Cosmologia e Mitologia: 19, 20, 21, 22./ 119,pág1: Sobre as várias tríades que existem nas facetas espirituais da vida. / 130, pág.6,7,8,9: As várias esferas do ser./ Reinos espirituais. 012, Pág.3. / 152, pág.5: "O homem não é colocado nesta esfera, ele gera essa esfera a partir de sua condição interior". / 254, pág.2: A natureza tem natureza dual, contendo bem e mal. Há reinos espirituais totalmente bons e totalmente maus.



- Reencarnação: /169, pág.8: Como se alternam as encarnações masculina e feminina. / 190, pág.5: "Se todos os sentimentos dessa vida fossem vividos até o fim, todos os resíduos de vidas anteriores serão automaticamente enfrentados." / Sentimentos represados são acúmulos de milênios. O ciclo de vida/morte e o enfraquecimento da memória entre uma vida e outra é auto-induzido. /192, pág.4: O material acumulado (não trabalhado) busca circunstâncias e pessoas para a próxima encarnação ter outra chance de ser limpo. / Para despertar sentimentos dolorosos. "Não importa quanto isto possa parecer à 1a vista... Não apenas a matéria anímica residual desta vida, mas das anteriores, será clareada". / 197, pág.3: "este caminho leva milhares de vidas, e não centenas"/ 216 inteira.



- Abordagem fenomenológica: 125 pág.9,10: "Seu estado interior faz a terra ser um paraíso ou o inferno".



- Crítica do Guia ao relativismo pluralista pós-moderno. 005. / Sobre abordagem pós moderna construtivista: "Neste caminho, você deixa de se preocupar com crenças, doutrinas e dogmas. Opiniões sobrepostas, verdadeiras ou falsas, é entrave ao desenvolvimento pessoal. Quando o centro espiritual é liberado, a questão deixa de ser seguir teorias ou credos. 116 pág.4.



- Do ponto de vista do Guia, o Pathwork não é uma filosofia. "Minha função é apenas dar algumas dicas para os amigos aqui presentes avançarem no caminho espiritual". 002.



- O desenvolvimento moral (desenvolvimento do eu) é a substancia mais importante do alimento espiritual. 31, pág.1.



- 49 pág.2: Evoluir de mostrar as imaturidades externamente para viver o conflito internamente. Evolução coletiva.



Posição crítica do guia sobre outros temas:



- Sobre homossexualismo: "abordagem errada, mensagem mal entendida", 62, pág.4.


- Sobre sistema penal na nova era. 083, pág.11.


- Sobre Goethe. 083, pág.9.


- Interpretação do Pai nosso. 99, pág.9,10.


- Sete pecados capitais, judaísmo, Islã. 101, pág.10.


- Infelicidade falsa e a pobreza. 104, pág.8.


- Yoga. 104, pág.9.


- Educação humana. 104, pág.12.


- Drama, mitos e contos de fada. 111, pág.8.


- Sono. 113, pág.8.


- Crítica do Guia ao caráter dualista do movimento feminista atual. 146.


- 152 pág. Interpretação de Adão e Eva.


- 153. Sobre vício em drogas. Pág.8.


- 154, pág.8, 9. Sobre orgasmo.


- 192. 90% seres humanos estão adormecidos. 10% estão num caminho como este.


- 196 pág.5: Clarividência e psiquismo.


- 218 pág.2: Sobre sonhos com trens.


- 224 pág.1: Nova era e abordagens cataclísmicas. / Pág.7,8: Sobre abordagens que pregam inatividade total da mente.


- 225 pág.4,5: "A humanidade já está pronta para ser UM governo humano, UMA religião, etc. Mas a resistência a esse novo fluxo espiritual de mudança se nos manifesta...” Monopólios nos quais grandes grupos dominam as massas e ditam leis e valores."


- 227: Paradigma: O planeta terra chegou a uma etapa do desenvolvimento em que a velha estrutura já não pode ser mantida. O planeta já não pode suportar as tensões e restrições da velha e limitada consciência. É preciso adquirir uma nova visão na qual tudo é pág.4./ Sobre filosofias inteiras que se baseiam em uma divisão dualista. Pág.7./ Tanto atitudes reacionárias quanto radicais são bloqueios. Projeções externas com ênfase mal colocada. Pág.2.


- 228 pág.1: Sobre "matemática superior, além do nível da realidade. Sobre esforço sem esforço (princípio taoista).pág.6


- 229 Pág.2: Sobre feminismo da década de 60/70.


- 243 pág.8: Sobre a Bíblia.


- 250: Governos mundiais e a lei do dar e receber .


- 251 pág.5: Liberação feminina e revolução sexual.


- 254, pág.1 a 3: Ecologia, Arte.



Atitudes e recomendações do Guia.


Atitudes para o trabalho:


- Atitude correta e errônea em relação à própria negatividade, ou honesta investigação interior: 109: Lidando com a culpa real:2 fases do caminho: A purificação e a percepção do eu sem a conotação do certo e do errado/ Antes de encarar o Eu Inferior em sua totalidade, É preciso se aceitar e se perdoar.Reconhecer e deter a tendência a moralizar a nós próprios.Pág.2/ 2 comandos paradoxais: Se auto-explorar e purificar, e atentar ao perigo da auto-condenação e da moralização./Manter-se afastado de quaisquer implicações de pecabilidade/ Auto condenação versus auto-justificativa: Opostos duais/ Prontidão: Antes que ela se manifeste, fazer uma tentativa forçada de encarar a culpa real poderia encontrá-los completamente fechados ou poderia aniquilá-los.Pág.2/ Cultivo da flexibilidade em aceitar o Eu Inferior/ Instrumento de Trabalho: Tipo certo de meditação e de pensamento ao se aproximar dessa fase.Pág.2,3.///O Eu Verdadeiro é obstruído pelos hábitos de ocultar,moralizar e justificar. "Esta é a dificuldade para atentar para assumir o hábito de olhar, ver e tentar compreender, livre de idéias pré-concebidas".104,pág.12 .A humilde aceitação. 031. Como proceder para aceitar o mal em si e se gostar. 53. Culpa por ser imperfeito é falsa.49, pág.4 e 5. 075, pág. 1 e 2.082,pág.2: Honestidade: Junto com a coragem, um dos trunfos mais importantes para o desenvolvimento humano.Ver:89,pág.9,10.



- Sobre resistência ao trabalho do Pathwork (luta doentia que exaure energias). 114, pág.4, 5,6.



- Verifiquem onde encontram resistência e também o desejo de ignorá-la (99, pág.11). Atitude de dizer "Eu já sei, não há nada de novo". 49 pág.3, 2o par. / Ao concordar prontamente, (intelectualmente) fica fácil passar despercebido a premência de suas próprias emoções contraditórias. 071, pág.5.



- Como lidar com a descoberta de algo que invalida sua auto-imagem. 49, pág.3.



- Paciência: 072, pág. 11,12.



- 001: O mar da vida. 3 formas de vivenciar as leis espirituais: Fazer, pensar, sentir. Roberto Assaglioli: Técnica do "como se": Agir como se já sentisse compaixão: Na ordem, começar com fazer e caminhar para o sentir./Importância da vida ética para o crescimento: O que significa uma atitude ética dentro de um grupo de Pathwork? Quais são os parâmetros?



- Aceitação da vida e entrega a vida: 082- "Jesus: "Sejam como as crianças". Aprender a ter a coragem para viver agudamente, aceitar plenamente a vida. Coragem-qualidade necessária. Pior opção: entorpecer a capacidade de vivenciar, sentir. Erro de algumas religiões: procurar deliberadamente o sofrimento. pág2, 3. Para aprender a encarar o sofrimento.pág.3.



- Sobre generalizações: Comparar seres humanos é um erro. 84 pág.10 e 12(final). Ver: palestra sobre processo encarnatório. / Não se comparar com os outros, e não comparar as pessoas. Cada ser é único, tem uma história única e uma responsabilidade única/ Porque uns vivem fácil e outros não. 95, pág.9.



- A libertação interna vem exclusivamente da vivencia destas palavras como verdade. Palavras são indicadores que ajudam a abrir caminho para que você possa ver a verdade por si mesmo. É só isso que elas podem ser. " Use essas palavras como orientação para adquirirem um entendimento pessoal e emocional",93,pág.2./ 113,pág.1: Compreensão intelectual x emocional. “A verdadeira compreensão só vem, às vezes, anos depois de ter lido o material". / 158, pág.1 "Assimilar estas palavras mais como força psíquica que como memória intelectual"./ 159,pág.1: Refletir profundamente sobre o significado real desses palavras ( alcançar a autenticidade: Alinhar o que se pensa com o que se sente).



- Estar consciente dos sentimentos não é o mesmo que transformá-los em atos. (lidar com emoções e com a maldade).



- Atitude perfeccionista de dizer: "Eu já deveria ter resolvido meus problemas" ou ter raiva de si mesmo por demorar a perceber. 97, pág.9.


- 123 pág.5: "Há perfeição em se encarar seu presente imperfeição".


- Cuidado com agir pelas aparências de uma forma mais sutil97, pág. 5.



- Examinar fantasias. "98: Quanto mais satisfatória suas fantasias, menos incentivo você terá para resolver a situação".



- Duas atitudes mais importantes: Honestidade e Coragem. 155, pág.4: " É aqui que estou...". 189 pág.5: Coragem e honestidade são pré-requisitos./ 199, pág.5: "Disciplina, coragem, humildade, comprometimento".



- Conscientize-se de suas racionalizões. 157 pág.7: Ela dá uma aparência de correção aos seus argumentos e de justificativa aos seus atos.



- 192 pág.1: Despertar poderes espirituais é perigoso sem a purificação. O amor deve ser primeiro despertado na alma para que o poder esteja a salvo. / Quando se busca o espiritual pelo medo do estado oposto, as possibilidades de sucesso permanecem inalcançáveis. Isso gera a ilusão de que nenhuma possibilidade existe. Mas a direção escolhida que está equivocada. Pág.2./ Vocês devem entrar e passar por aquilo que os amedronta, para que o temor não mais exista.



- 196 pág.8: Ingressar num caminho como esse nos faz responsável. Uma responsabilidade que é um privilégio. Que nos torna livres.



- 204 pág.8,9: "O caminho só é difícil porque o homem, em sua vaidade, tem uma falsa idéia do que ele deveria ser agora."/ "Muito poucas pessoas nesta terra estão dispostas a enveredar por ele. Um número ainda menor vai até o fim".



- 213 pág.1: Atitude correta para ler as palestras: "Tentem escutar (ler) com seu ouvido interno, sentir com seu ser mais profundo, deixar em repouso a mente que duvida." (ou seja, o guia diz: "Abra mão de sua capacidade crítica", ou "abra mão de mente racional", ou ainda : "pense com o seu coração").



- 218 pág.5,6: Sobre a aceitação de onde se está. / 251, pág.6: Aceitar o seu estado. Aceitar ser quem você é. (Ver: Cap.1 Eu sem defesas).



- 222 pág.3,4: "Procurar não deixar que os preconceitos e as associações de palavras formem uma barreiras que poderia impedir que vocês assimilassem o que digo... Não se fechem para uma verdade que eu (dou) mesmo que de vez em quando ouçam uma palavra que desperte em vocês uma reação negativa."


- 258: Coragem. Pág.4,5. O maior mal: qualidade mais baixa na escala é a inércia, não o ódio. "O princípio ativo da distorção... nunca poderia por si mesmo causar a mesma destruição que o princípio passivo da distorção. (Ex: Massa silenciosa durante o Nazismo. Conivência silenciosa de muitos, para os quais salvar a própria pele era mais importante do que a verdade, a decência, honestidade, caridade, etc.) Pág.5/ Doar a Deus significa atividade. Empurrar a inércia. pág.5/ Verificar a natureza de sua inércia, e a forma exata como vocês racionalizam a fim de se entregarem a ela. Pág.6.



Avisos, conselhos, expectativas e advertências do Guia:



- No início do caminho, sente-se uma enorme quantidade de sentimentos negativos e aparentemente as coisas pioram. O que estava reprimido vem à tona. 89,pág.8. 93, pág1, "Quando o desenvolvimento e o trabalho evoluem como devem, o núcleo do problema interior aflora cada vez mais, o que gera necessariamente depressão e confusão". / 125,pág.8: A negatividade exacerbada durante o progresso no caminho.



- Por causa da repressão sistemática e da forte resistência, as emoções (negativas) aparecem quando não se está no Pathwork. 89, pág9.
- É normal sentir emoções contraditórias. Amor e ódio. Não há necessidade de culpa. 089.


- Não comecem a tentar amar e respeitar o que parece impossível para vocês agora. Comecem querendo entender. 099 pág.9./ 100, pág.8. A melhor maneira de chegar a esse ponto do crescimento (querer dar amor) é observar suas emoções. A princípio vocês sentem um vislumbre, uma visão passageira de um novo modo de sentir. Depois a sensação se desvanece. Perseverem, e os períodos aumentarão.



- 100 pág.3: Novos padrões construtivos não podem ter um alicerce firme sem sentir e passar pela dor e frustração originais e por tudo aquilo de que vocês fogem.



- 100 pág.4: “Não esperem que, ao entrar neste caminho, a vida sempre proporcionará a vocês o que vocês desejam (barganha com Deus). Na realidade, você vai aprender a lidar com os infortúnios e dificuldades, em vez de ficarem abalados com eles. Tirarão o melhor proveito de todas as oportunidades, extrairão a maior felicidade de toda experiência de vida. Perceberão as muitas oportunidades de serem felizes que não viam no passado".



- 100 pág.6: Transformar cada recaída num novo impulso, nova lição. Os novos padrões acabarão se consolidando.



- 122, pág.3. Quando há um insight profundo, uma onda de energia, alegria de viver, esperança e brilho aparecem, além de Eros. Verdade=Eros=união.



- 116 pág.1: Efeitos positivos ao se avançar no caminho. Momentos de confusão que antecedem um avanço./ "Não há atalhos para o centro interior. A chegada não é súbita e dramática. É lenta e gradual. pág.3.


- 144 pág.5, 6,7: "A destruição é sempre um processo doloroso/ O alicerce do erro precisa ruir primeiro, antes que as novas fundações possam ser erigidas/ Renúncia (não é auto-derrota) ao conceito que gera medo e desesperança".



- 190,pág.2. O medo de que a verdade fundamental sobre você e sobre a vida seja inaceitável torna impossível abandonar a auto-ilusão. "Esta é a fase mais árdua deste Pathwork".



- 190, pág.8,final: Meditação é um requisito sem o qual o caminho fica desnecessariamente mais difícil.



- 212 pág.2: "Configuração em espiral, círculos cada vez menores, convergindo para um único ponto". Por isso, as mesmas questões que já trabalhamos inúmeras vezes voltam e voltam de novo, numa outra volta da espiral. Não desanime se você se vir às voltas com o mesmo tema novamente.



- 218 pág.3: (Sobre descer do trem em algumas áreas e não descer em outras): "Quem se encontra nesta situação vivencia longos, prolongados estados de desarmonia, ansiedade, crise, depressão, turbulência."



- 222: Sobre o visível progresso inicial no caminho. Elemento motivador. "Não é mais teoria".pág.1.



- 225 pág.7: Dificilmente realizamos sozinhos a tarefa do desenvolvimento. (Precisamos de um “helper” e de um grupo).



- 235 pág.1: "Com freqüência você não sabe com qual aspecto de sua personalidade o seu caminho orgânico e interior o chama para lidar."



- 237 pág.4: Lei do desenvolvimento: Por causa do seu desenvolvimento geral, o ponto de estagnação restante tem um impacto mais pesado e repercussões mais sérias.



- 250: Expectativas realistas ao assumir compromisso no estágio 4 (doar-se aos outros).pág.7 a 9.



- 246: Sobre resistir às diversas abordagens trazidas pelo Guia: "Cada nova fase (do Pathwork) é saudada com a rebelião contra a autoridade que lhes apresenta aquilo que parece quebrar a tradição com a qual você se acostumou."... "Aqui vocês se tornam tradicionalistas".pág.5 ( Abordagem do Guia é bastante pós-moderna, pois propõe uma inter-relação entre sistemas).


Razões para entrar num caminho como o Pathwork.


- Físicas: Saúde. Emoção saudável resulta em corpo saudável. Mais vitalidade e disposição. / "Those conflicts (by not living from truth and love) pull out your life force and strangle it" (221, pág.6, par.1).



- Emocionais: "Educação emocional básica, que deveríamos ter na escola. Aprendemos a satisfazer nossas necessidades básicas. "- Guia do Pathwork./ Temos a ilusão de que , ao nos defendermos de nossos sentimentos, estaremos seguros. É justamente ao contrário. Ao vivenciarmos todos os sentimentos (a proposta do Pathwork), ganhamos em todos os sentidos (190) /Conflito do mundo da dualidade: “Quando você duvida de uma realidade maior e não se arrisca nela, você permanece no mundo da dualidade e vivencia o seguinte conflito: Se eu não for egoísta, então sofrerei. Eu não quero sofrer. Mas se eu for egoísta, serei rejeitado, não serei amado, serei abandonado e isso também é sofrimento"( 145). /" Quando você se propõe a atuar a partir do centro liberado do seu ser mais recôndito, você atrai toda a abundância da vida para você, mas não fica na dependência dela. Ela o enriquece e é a satisfação de uma necessidade legítima, mas não é a substância da vida. A substância está dentro de você." ( Caminho da autotransformação, Cultrix,pág.31).



- Mentais: Leituras que exercitam clareza e poder de síntese. Foco, propósito, liderança, ordem. "Um caminho que não seja baseado na verdade e no amor pode durar por certo tempo, mas mais cedo ou mais tarde será destruído” / “If you truly question yourself with all the logic and reason at the disposal of your mind, you will see that you are not really taking so much of a risk. If there is no such thing as a divine reality, what do you have to lose trusting in it ? You would find nothing but what you already know. But…if its manifestations are no illusion, then surrendering to it will only wise and reasonable thing to do" (221, pág.5, pár.3). / Sabedoria do Pathwork traz unidade à dualidade inerente a muitos assuntos e conceitos distorcidos, que geram sofrimento em nossa vida. / 100, pág.4: O resultado principal deste caminho é entender o processo de causa e efeito de cada um e adquirir o senso de força, independência e autoconfiança e justiça que isto proporciona. O tempo que isto levará depende de seus esforços, vontade interior de superar resistências/ 218, pág.1: "O caminho é inevitável. Portanto, que entremos nele conscientemente (Sonia Café: "ir à direção do que está vindo em nossa direção").



- Sociais: Ingresso em 4 níveis de comunidade: Grupo de estudo ( ver: John Pierrakos), regional, nacional e internacional. / Atuar nos relacionamentos a partir do seu centro, com mais autenticidade, criando relacionamentos mais autênticos e mais satisfatórios. Viver uma vida mais autentica não significa que você está fadado a viver sem aprovação, sem apreciação, amor ou sucesso. Imagem: "Ou eu vivo de acordo com o meu centro, e então devo privar-me de todo amor e reconhecimento dos outros e isolar-me, ou devo prescindir do meu eu interior porque não posso pretender uma vida tão solitária assim" ( Caminho da...pág. 31).



- Espirituais: Preenchimento, sentido e profundidade à vida e aos atos: Todo ser humano sente um anseio mais profundo do que os anseios de realização emocional e criativa. Este anseio provém da sensação de que deve existir outro estado de consciência, mais pleno, e uma capacidade maior para viver a vida. Este anseio, ao ser traduzido pela mente dualista, pode se expressar num modo confuso ou num modo realista:



- Modo confuso: Ocorre quando a personalidade deseja amor e realização, perfeição e felicidade, prazer e expansão criadora sem pagar o preço de uma auto-confrontação mais rigorosa (não assume a responsabilidade por seu estado atual ou pelo estado ao qual aspira). Por exemplo, se você se entristece consigo mesmo por sua vida vazia, e culpa os outros por sua condição atual, não importa quão errado os outros possam estar, sejam seus pais, seus companheiros ou a vida como um todo (Deus). Desse modo esta felicidade almejada será sentida como uma recompensa não merecida, e você se sentirá desapontado, ressentido, ludibriado e raivoso. Você através de fantasias mágicas e irrealizáveis crê que a realização lhe é devida por direito.



- Modo realista: Você parte da premissa de que a pista para a realização deve estar em você, e você deseja descobrir as atitudes que o impedem de viver a vida de uma maneira plena e significativa. Você aceita a realidade de que a sua felicidade deve ser conquistada através da coragem e da honestidade de olhar para si como é agora, mesmo para áreas que preferiria evitar e de estar disposto a vivenciar a dor emocional que você lutou e luta com todas as suas forças para evitar.



- Paz e felicidades profundas através do contato e da ajuda do mundo espiritual.



- 98 pág.1: "Toda vez que mesmo uma única partícula dessas obstruções ( orgulho, egoísmo, covardia) seja eliminada, mesmo um reconhecimento momentâneo, a pessoa experimenta liberdade, renovação e significado da vida em grande medida".



- 192 pág.1: A percepção sobre o próprio “self” leva à percepção sobre o “self” dos outros, que leva à percepção da vontade cósmica.



- Apoio espiritual forte: 213 pág.11: "Há muitos seres espirituais aqui ao seu redor para ajudá-los."


- Ponto de vista de Deus: Quando evoluímos, isto causa um enorme efeito no plano de salvação.



- 99,pág8: " Uma só pessoa que obtém a verdade interior é mais influente no cosmos que os milhões que permanecem em erro".



Comentários do Guia:



- 150 pág. 6: “A maioria das pessoas prefere fazer qualquer coisa, ir a qualquer parte, em vez de encarar o eu".


- 164 pág.2: Sobre um ser humano que negligencia seu crescimento espiritual.


- 192. 90% da humanidade está adormecida.



Metodologia do Guia do Pathwork:



- Visão global do ponto do trabalho em que o grupo está (do ponto de vista cronológico): 068 pág.1, 075, pág.1,2. 081, pág.1.



- Método de trabalho do guia. "Não dá para começar o trabalho atacando as grandes questões existenciais. Tem que começar com as pequenas coisas do dia a dia". 082, pág.3, último par.



-



- 93, pág.1. "Só depois de algum trabalho inicial vocês podem adquirir o entendimento pleno, geral e conciso de sua vida. Qual é sua problemática e por que. Antes de chegarem a esse ponto, uma parte de personalidade terá grande resistência e nova confusão. Não ter mais recaídas significa chegar a este entendimento mais completo".;;;109, pág.1: 2 Fases do caminho até agora. A auto investigação e auto purificação e Perceber o Eu sem a conotação do certo e do errado.



- Objetivo dos grupos, segundo o Guia: Ver 108, pág.6.



- "113 pág.1: Fica mais difícil obter mesmo o entendimento intelectual para quem não tiver ouvido as palestras anteriores, que desembocam na atual”. (Sobre sua preferência pela abordagem cronológica).



- "Mais uma vez tentarei ligar aspectos que examinamos anteriormente em separado". (Caráter sistêmico da abordagem do Guia).119,pág.1.



- "As palestras são endereçadas diretamente a estas camadas à medida que surgem" (Fazer com que as camadas da psique se tornem acessíveis à percepção).122,pág.2./125,pág.1: "Na verdade,esta palestra vai dar a eles o material de que precisam agora".



- 131 pág.1: 2 abordagens interdependentes: encontrar, expressar, reexaminar à luz da verdade e esvaziar-se ( colocar para fora-expressão) e impressionar, moldar, direcionar os poderes que estão dentro de você para criar circunstancias mais favoráveis (colocar para dentro-impressão) .Pág.1.



- 131 pág.5: "Todas as palestras, todo o material e ajudas que são dados a você neste caminho são úteis apenas quando vocês escolhem livremente um determinado aspecto, percebendo que ele é compatível com vocês, adequado a vocês naquele momento. Em outras palavras... (ver método para auto observação a partir das palestras)./Trabalhar o que é relevante para você neste momento. Meta do trabalho: Conseguir plena identidade, sob todos os pontos de vista, sem seguir autoridades de fora. "Não lhes ocorre usar o material que lhes é fornecido de acordo com as necessidades da psique naquele momento".



- 154 pág.1: A palestra inicial do ciclo anuncia a ênfase do nosso interesse, e é a continuação natural de onde havia parado.


- 162 pág.2: "Estas diferentes abordagens tem uma ordem seqüencial. Em geral, vocês encontram a mesma ordem seqüencial no próprio caminho pessoal de vocês. No entanto, não se pode forçar o caminho individual a imitar a seqüência destas palestras. O processo é que vocês encontrem sua própria verdade como uma experiência direta e espontânea, em seu íntimo." Ver: todo o segundo par. Pág. 2. Sobre releitura das palestras.



- 178 pág.8: Explicação da seqüência específica de palestras que o Guia deu naquele ano. "Uma deve ser entendida em relação às demais". Processo criativo, negatividade, força vital e prazer, etc.



- 192 pág.3, final: A necessidade de repetições e ciclos.



- 193 inteira: "Tentaremos (nesse ciclo) seguir para áreas que mais necessitam ser exploradas e vividas." Pág.1/ Resumo do Pathwork. Pág.1; Visão evolucionista dos níveis de consciência. /Objetivo do Path. Pág.2, último./ Dualidade, pág.3/ 2 modos de aproximação à espiritualidade. Ascendente e a unificação das distorções. Pág.4/ 4 níveis: mente, vontade, sentimento, físico. Pág.5/ Meditação. Pág.8/ Relação Eu Superior Inferior e Máscara, pág.9/ Auto-responsabilidade, pág.10.



- 194 pág.12: "Caminhos diferentes levam ao mesmo resultado".



- 197 pág.1: "As palestras vem em séries. Esses tópicos formam um todo, como uma cadeia em espiral".


- 208 pág.1: "Vou expor o tópico de tal modo que atenda aos novos e antigos membros".



- 212 pág.1: "Alguns já estão na fase exata discutida nesta palestra. Outros só daqui a alguns meses. Outros ainda resistem deliberadamente."



- 222 pág.2,3: O Guia não encarava seu próprio ensinamento com dualidade e separatividade em relação a outros movimentos: "Vocês são pioneiros. Outros grupos de pioneiros surgem nos vários cantos da terra.Cada um a seu modo.Cada um como deve ser." / Pág.3: Nós estamos constantemente à procura de meios e palavras para transmitir a vocês facetas da realidade sem despertar reações que seriam inadequadas, e, assim, limitariam a sua compreensão".



- 225 pág.1: "Esta palestra em particular é exatamente aquilo que vocês necessitam neste momento".



- 227 pág.9: "Vejam em que partes de vocês as palavras que eu disse encontram eco. Deixe que essas palavras alimentem e fortaleçam vocês onde for mais necessário" (Esta abordagem pode ser usada como orientação geral para uma leitura ou uma aula de Pathwok no grupo).



- 237 pág.2: Caminho exigente: "Qualquer pessoa que é suficientemente desenvolvida para ter como meta um caminho tão exigente como este..."



- 248 pág.1: Há um profundo significado na seqüência que as palestras contem,... O assunto de cada uma e sua seqüência significa uma mensagem articulada que o mundo dos espíritos está lhes enviando.


FIM

3 comentários:

Nairana disse...

Estou muito encantada e grata, André!

Andre Luis disse...

Alguem poderia postar aqui um endereço na net onde eu possa encontrar as palestras? Eu ja tenho todos os livros editados pela Cultrix, mas gostaria de ler mais, sei que são mais de 200 palestras. Esse conhecimento é MARAVILHOSO fiquei impressionado quando entrei em contato pela primeira vez. Grato!

Andre Barreto disse...

Caro Andre: Segue link para download das palestras originais em inglês:

http://www.pathwork.org/lecturesObtaining.html

Em português não há acesso. O Pathwork Brasil não disponibiliza.

Abraço